Tech News/Magazine Website

O que são os carros autônomos e como funcionam?

Uma das principais tendências no mercado automotivo é o carro autônomo, unindo marcas populares e de luxo, a fim de garantir a melhor experiência para seus usuários, com conforto, praticidade e, claro, segurança. No entanto, ainda que essa inovação marque uma nova era no universo dos automóveis, as dúvidas sobre seu funcionamento e o que de fato é um carro autônomo continuam pairando sobre os consumidores. Portanto, se você tem interesse em saber mais sobre o assunto, não deixe de acompanhar o post de hoje até o fim. 

O que são carros autônomos?

Em resumo, os carros autônomos são aqueles que oferecem algumas funções importantes de condução e direção sem exigir qualquer interferência humana. Além disso, dependendo do nível de autonomia desenvolvido, os carros podem ser configurados sem elementos fundamentais, como volante e pedal. Da mesma forma, em conceitos mais recentes, esses componentes podem surgir do teto ou sob o para-brisa. 

Vale lembrar que, por mais que a direção 100% autônoma não esteja tão próxima de nossa realidade, muita automação já está presente em boa parte dos carros com tecnologia de ponta. Mas, de qualquer maneira, o foco de um carro autônomo é permitir que você ande com seu carro sem precisar dirigi-lo. 

Ao contrário do que se pensa, os carros autônomos não são tão recentes no mercado, sendo que o primeiro a ser desenvolvido foi pelo Google, em 2010. Então, a partir disso, outras marcas de tecnologia perceberam o potencial do modelo e começaram a desenvolver os seus próprios.

Como é o funcionamento do carro autônomo?

Para entender o funcionamento desse veículo, devemos conhecer o que diz a SAE (Sociedade de Engenheiros Automotivos), que é referência nos estudos da área e traz uma padronização com definições detalhadas. De acordo com ela existem 6 níveis de condução autônoma, que vai do 0 ao 5. Nesse sentido, a dependência de ter um motorista dirigindo o automóvel diminui conforme o nível de condução aumenta. Entenda mais sobre eles abaixo:

Nível 0

Nesse nível, o carro depende da ação humana para tudo, seja para frear e acelerar, até acionar os itens de segurança e monitoramento. 

Nível 1

Aqui, já existem alguns itens com tecnologia autônoma, mas estão restringidos a avisos ao motorista, principalmente em relação à segurança. Contudo, não há nenhuma interferência da máquina. 

Nível 2

No nível 2 o sistema já possui algumas funções pré-programadas de forma independente, como frear em situações de risco e manter uma aceleração constante. Inclusive, atualmente, muitos modelos lançados no mercado já contam com automação nível 2. 

Nível 3

Aqui, as funções pré-programadas do nível anterior já começam a ser feitas de maneira independente pelo sistema, mas ainda assim, continua exigindo atenção do motorista em certos momentos. 

Nível 4

No nível 4, o veículo já se torna 100% independente, sem exigir qualquer ação do condutor. Aqui, o modelo pode ainda trocar informações com outros carros da via e com sistemas de monitoramento, a fim de promover uma condução segura e independente. 

Nível 5

Por fim, no nível 5, o veículo deixa de ser um carro e pode ser considerado uma verdadeira sala com rodas. Isso porque, o condutor se torna apenas um passageiro, sem qualquer tipo de interferência humana. 

Quais as vantagens de um carro autônomo?

De acordo com desenvolvedores, um dos impactos mais importantes dos carros autônomos é a segurança no trânsito. Acidentes envolvendo carros estão entre as 10 maiores causas de morte no mundo, sendo que 95% deles são causados por falhas humanas. Nesse sentido, a expectativa é que a automação contribua para uma redução significativa no número de acidentes, mas principalmente, de vítimas. 

Além disso, para quem possui frotas de veículos, como empresários, a automação também pode ser bastante interessante. Isso porque, por meio dela é possível ter maior controle e previsibilidade de custos, realizar as melhores rotas, além de reduzir problemas causados pelos acidentes, tanto em relação ao custo quanto à perda de funcionários da organização. 

Principais desafios

A implementação de um sistema 100% autônomo nos dias de hoje depende menos da tecnologia e mais das partes interessadas para lidar com as diversas complexidades comerciais e legislativas associadas a ter veículos desse tipo nas estradas.

Contudo, é claro que alguns desafios em relação à tecnologia também existem, como definição de responsabilidade em caso de acidentes, otimização dos sensores para entender melhor as condições do tráfego e do ambiente, adaptação da infraestrutura das cidades (faixas mal pintadas que podem confundir os veículos), etc. 

Portanto, agora que você entende mais sobre os carros autônomos, sabe que os modelos com sistema 100% independente ainda podem demorar para chegar, de fato, aos consumidores. Contudo, os avanços estão caminhando e já existem diversos estudos, pesquisas e interessados em trazer cada vez mais a tecnologia para o universo automotivo. Sendo assim, é importante ficar por dentro das tendências, seja você motorista ou gestor de frotas.

Comentários estão fechados.