Luz azul: ver a luz da cor azul pode afetar sua saúde

luz-azul-ver-pode-afetar-sua-saude

Rolar e deslizar nas redes sociais. Assistindo TV. Lendo relatórios de trabalho em seu laptop.

É seguro dizer que a maioria de nós passa muito tempo olhando para as telas. E isso pode ser ruim para nossos olhos. 

A luz azul dos eletrônicos está associada a problemas como visão embaçada, fadiga ocular, olho seco, degeneração macular e catarata. 

Por isso é importante consultar frequentemente com seu oftalmologista ou se for algo mais específico consulte com um especialista em cirurgia de catarata, por exemplo. Algumas pessoas têm problemas de sono. Aqui está o que você precisa saber.

O que é luz azul?

É uma das várias cores do espectro de luz visível. Os outros são:

  1. vermelho
  2. laranja
  3. Amarelo
  4. Verde
  5. Azul
  6. Índigo
  7. Tolet

Você pode conhecê-los pela sigla ROY G BIV. Juntos, eles formam a luz branca que você vê quando o sol – a principal fonte de luz azul – está brilhando. Lâmpadas fluorescentes e LED (diodo emissor de luz) também emitem luz azul.

Cada cor no espectro de luz visível tem um comprimento de onda e um nível de energia diferentes. A luz azul tem comprimentos de onda mais curtos e energia mais alta do que outras cores. 

Algumas pesquisas mostram uma ligação entre danos aos olhos e luz azul de ondas curtas com comprimentos de onda entre 415 e 455 nanômetros. A maior parte da luz dos LEDs usados ​​em smartphones, TVs e tablets tem comprimentos de onda entre 400 e 490 nanômetros.

Luz azul e seus olhos

Em grandes quantidades, a luz solar de alta energia – como os raios ultravioleta e a luz azul – pode aumentar o risco de doenças oculares. 

Isso levantou preocupações sobre se a luz azul das telas digitais é prejudicial. Mais pesquisas são necessárias.

Os especialistas acreditam que a fadiga ocular digital, ou síndrome da visão computacional, afeta cerca de 50% dos usuários de computador. Os sintomas incluem olhos secos e irritados e visão turva.

A luz azul também pode danificar suas retinas. Isso é chamado de fototoxicidade. A quantidade de dano depende do comprimento de onda e do tempo de exposição.

Os estudos em animais mostram que mesmo uma exposição curta (alguns minutos a várias horas) pode ser prejudicial. Um filtro que corta 94% da luz azul diminui os danos.

Há evidências de que a luz azul pode levar a mudanças permanentes na visão. Quase toda a luz azul passa direto para a parte posterior da retina. Algumas pesquisas mostraram que a luz azul pode aumentar o risco de degeneração macular, uma doença da retina.

A pesquisa mostra que a exposição à luz azul pode levar à degeneração macular relacionada à idade, ou DMRI. Um estudo descobriu que a luz azul desencadeia a liberação de moléculas tóxicas em células fotorreceptoras. Isso causa danos que podem levar à DMRI.

Luz azul e sono

O tempo de tela, especialmente à noite, está relacionado ao sono insatisfatório. A luz azul dos dispositivos eletrônicos interfere no seu ritmo circadiano, ou ciclo de sono. 

Ele sinaliza ao seu cérebro para acordar quando deveria estar desacelerando. Em um estudo, apenas 2 horas de exposição à luz azul durante a noite diminuíram ou interromperam a liberação do hormônio do sono melatonina. Desligar seus dispositivos digitais pelo menos 3 horas antes da hora de dormir pode ajudar.

Luz Azul e Câncer

A exposição à luz azul pode aumentar o risco de certos tipos de câncer. Um estudo descobriu que as pessoas que trabalham no turno da noite correm maior risco de câncer de mama, próstata e colorretal.

Luz azul e crianças

Os olhos do seu filho não filtram a luz azul tão bem quanto os seus. Muito disso nas telas do dispositivo pode aumentar as chances de desenvolver obesidade, miopia e problemas de foco da atenção. 

À noite, pode fazer com que o corpo libere melatonina ainda mais lentamente do que o seu. Para proteger seus olhos, limite o tempo de tela do seu filho. 

E faça com que eles coloquem todos os dispositivos eletrônicos, incluindo dispositivos portáteis de jogos, no local pelo menos meia hora antes de dormir.

Luz Azul e Saúde Mental

A exposição noturna à luz azul foi associada a sintomas depressivos em estudos com animais. Mas a exposição à luz azul durante o dia pode ter o efeito oposto. 

Tem sido usado para tratar o transtorno afetivo sazonal, ou SAD. Essa é uma forma de depressão relacionada à mudança das estações. Pesquisas mostram que 20 minutos de exposição à luz azul pela manhã ajudam a aliviar os sintomas do SAD. 

Conclusão sobre a luz azul

Ela parece ser inofensiva mas a realidade é bem diferente, pesquise mais sobre o assunto, existem diversos artigos abordando o tema, na internet você encontra várias revistas como a revista mais saúde que possui vários artigos sobre hábitos saudáveis. 

Como ela está no nosso cotidiano e hoje em dia é inevitável ficar longe, consulte com seu médico e faça lentes com proteção da luz azul.

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest